terça-feira, 9 de junho de 2009

VISITA DE S.S. A.A. R.R. OS SENHORES DUQUES DE BRAGANÇA A PORTALEGRE




Merecida e justa homenagem aos Ilustres Sócios Fundadores da Real Associação de Portalegre, Dr. Alfredo Subtil, Dr. Plínio Serrote e Dr. Manuel Inácio Pestana.

Programa de Dia 13 de Junho

- 09.30h - Partida do Solar das Avencas das comitivas para visita à Igreja de São Francisco.
- 09.45h - Visita à Igreja de São Francisco/Fundação Robinson (futuro Museu do espólio de arte sacra do Senhor Ruy Sequeira) e espaços envolventes.
- 10.00h - S. A. R. A Senhora Dona Isabel e sua comitiva visitarão a Stª Casa da Misericórdia de Alegrete.
- 11.15h - Reencontro das duas comitivas que, seguirão para o complexo social de Santo António, nos Assentos, onde está integrada a Igreja de Santo António, Padroeiro de Portalegre.
- 13.30h - Almoço da comitiva no Restaurante do Castelo, com o Ex.mo Senhor Presidente da Câmara Municipal de Portalegre.
(Após o almoço, faremos a pé um curto percurso, até aos Paços do Concelho, onde decorrerá o encontro com as forças vivas da região de Portalegre)
- 15.15h - Encontro com as forças vivas, na sala do Capítulo, seguido de uma mostra dos produtos com nome protegido, da região de Portalegre.
- 18.30h - Missa na Igreja se São Lourenço, por Alma dos sócios homenageados e falecidos.
- 19.30h - Jantar com associados e simpatizantes da Causa Monárquica.

(As inscrições para o jantar, estão abertas a todos os que queiram compartihar a visita de S.S. A.A. R.R. Os Senhores Duques de Bragança e prestar as referidas homenagens. Para tal, deverão ser efectuadas, as reservas., até ao dia 10 de Junho, para os seguintes contactos: António Carrilho: 927 316 070, Teresa Mourato: 967 974 668 e Pedro Espadinha: 963 819 510)

Etiquetas: , ,

94 Comentários:

Anonymous Anónimo disse...

Esperemos que o Mata Cáceres não se apresente de camisa aberta até ao umbigo como costuma fazer.

terça-feira, 09 junho, 2009  
Anonymous Anónimo disse...

E que não dê palmadas nas costas a suas altezas realezas finezas pobrezas e tristezas!!!

terça-feira, 09 junho, 2009  
Anonymous Anónimo disse...

Mas o que vem fazer a Portalegre este "par de Jarras"?

terça-feira, 09 junho, 2009  
Anonymous Anónimo disse...

Mas de onde é que sairam estes "cromos" da Real (???) Associação de Portalegre? Não há dúvida: real(mente) é preciso ter pachorra! Assim como é preciso ter pachorra (mais ainda) para os palhaços que aproveitam para colocar comentários ofensivos ao Presidente da Câmara a propósito de todo e qualquer assunto! A seguir à enchurrada dos cartazes com a cara do outro, vem a enchurrada de bocas foleiras... "Mister" Simplício no seu "melhor" (que infelizmente é do mais rasca que há)

terça-feira, 09 junho, 2009  
Anonymous Anónimo disse...

Olha-me este com a mania que é boquinha santa. Vê lá não te mordas que ainda morres com o teu veneno!
Deixa lá o Simplício em paz que para a vida deste concelho não conta... ao contrário do Mata.

terça-feira, 09 junho, 2009  
Anonymous Anónimo disse...

São tão SS.AA.RR. como eu!
Vivemos numa república desde 1910, que eu me lembre, e desde aí não há títulos.
Pena é que haja quem dê importância a tais figuras e lhes alimente o ego

quarta-feira, 10 junho, 2009  
Anonymous Anónimo disse...

Sabem que é o presidente da RAP?
O irmão da Xana Carrilho, o tontinho...
Estavam à espera de quê???
E quem também lá manda é a maluca da enfermeira Teresa Mourato...

E o "grande" Ribeirinho Leal O Plagiador também se diz monárquico...

quarta-feira, 10 junho, 2009  
Anonymous Anónimo disse...

Só de ler isto já me sinto velho.

quarta-feira, 10 junho, 2009  
Anonymous Anónimo disse...

O habitual espírito censor e politicamente correcto de alguns bloggers ataca. Quero lá saber que haja quem defenda a monarquia! Têm tanto direito a ser monárquicos como outros são bloguistas, comunistas, psds ou comunistas. Po acaso alguns modelos dos nossos socialistas são monarquias. Para "os mais distraídos": a Suécia, a Noruega,a Dinamarca, a Bélgica, a Holanda, a Inglaterra são monarquias e, que se saiba, estão bem mais longe do terceiro mundo que esta república das bananas.

quarta-feira, 10 junho, 2009  
Anonymous Anónimo disse...

E que não dê palmadas nas costas a suas altezas realezas finezas pobrezas e tristezas!!!

Terça-feira, 09 Junho, 2009
_
Mas estamos em República ou em monarquia???
Esses títulos não têm qualquer valor. Tal como o titulo do Ribeirinho. Comendador? Está tudo doido...

quarta-feira, 10 junho, 2009  
Anonymous Anónimo disse...

Anónimo disse...
Anónimo disse...
Será que os comentadores de serviço só leram a primeira página do AA? Curioso é o assumir por parte de Ribeirinho Leal do plágio e todos acharem normal... Por onde andará aquele anónimo que apelidou de "intelectuais de pacotilha" e que chamou outras asneiradas àqueles que consideraram que a atitude de R. Leal era de uma total falta de ética. Será que terá a coragem de se identificar e aplicar os insultos ao neto de Capela e Silva e aos outros que defenderam a sua causa?

Terça-feira, 09 Junho, 2009
_
Caro Anónimo
Não se preocupe. Nem vale a pena! O importante é que o que está no
http://emportalegreplagio.blogspot.com/
É INDESMENTÍVEL!

Obrigado pelo seu apoio na luta a favor da Cultura!

E Agradecimentos extensivos ao Blogue "Em Portalegre Cidade do Alto Alentejo" que mostrou estar ao lado da Verdade, e pela CULTURA.

quarta-feira, 10 junho, 2009  
Anonymous Lagarto pintado disse...

Ao último anónimo...

boa é esse o espírito! E eu que estava prestes a perder a fé na humanidade! Será que estamos perante grandes rasgos de mentalidade aberta!

Haverá abertura para deixar de lado a coscuvilhice e finalmente discutir assuntos relevantes?

quarta-feira, 10 junho, 2009  
Anonymous Anónimo disse...

Bonito filme

"HOME - O Mundo é a nossa casa"

http://www.youtube.co/watch?v=tCVqx2b-c7U

quarta-feira, 10 junho, 2009  
Anonymous Anónimo disse...

Lagarto pintado
Pelos vistos és da equipa do Cáceres, que engravatado esteve na apresentação do plágio...
Também, como és de sangue frio, outra coisa em relação à cultura não se poderia esperar...
Vivam os pobres/brutos de espírito!...

quarta-feira, 10 junho, 2009  
Anonymous Anónimo disse...

O Lagarto Pintado é o João Trindade.
Logo tão analfabeto como o Cáceres!

quarta-feira, 10 junho, 2009  
Anonymous Anónimo disse...

Há muito que não aparecia o corrupto do João Trindade!

Trindade, ainda recebes os 650 € por mês do Cáceres?

Só a corrupta Fonte Nova é que te dá albergue. Também 'come' do Cáceres...

quarta-feira, 10 junho, 2009  
Anonymous Lagarto Pintado disse...

Quem é o João Trindade?

quarta-feira, 10 junho, 2009  
Anonymous Lagarto Pintado disse...

Não sou o João Trindade.
Não recebo nada de ninguém.
Só como o que cozinho.
Não sou da equipa do Cáceres.

Desculpas aceites.

quarta-feira, 10 junho, 2009  
Anonymous Anónimo disse...

Se a anónimo soube que o João Trindade estava todo engravatado , então é porque tambem lá esteve.

Vai dar banho ao cão , ó palhaço

quarta-feira, 10 junho, 2009  
Anonymous Anónimo disse...

Que idade têm os senhores/as?

quarta-feira, 10 junho, 2009  
Anonymous Anónimo disse...

Anónimo disse...
Se a anónimo soube que o João Trindade estava todo engravatado , então é porque tambem lá esteve.

Vai dar banho ao cão , ó palhaço

Quarta-feira, 10 Junho, 2009
_________________
Este anónimo é BURRO.
Lê-se que era o Cáceres que estava engravatado e o PALHAÇO "leu" que era o João Trindade...

Claro que vai este votar Mata Cáceres...

Uma cavalgadura vota noutra cavalgadura...
É Portalegre no seu melhor...

quarta-feira, 10 junho, 2009  
Anonymous Anónimo disse...

A esmola é fixa ou cada qual deixa o que pode?

quarta-feira, 10 junho, 2009  
Anonymous Anónimo disse...

Eu acho que o tal anónimo tinha razão e, que saiba, nenhum intelectual, de pacotilha ou não, teve tomates para ir lá á apresentação do livro dizero que disse aqui.
Julgo, se estou bem lembrado, que foi isso que o tal anónimo disse, que apostava que nenhum tinha tomates para ir lá, e quem ganhou a aposta, quem foi???

quinta-feira, 11 junho, 2009  
Anonymous Anónimo disse...

Mas o anónimo anterior acha que a família Capela e Silva, em nome do qual o neto assina o artigo devia ir descer ao nível de R. Leal? E o Senhor não sabe que entre a assistência havia familiares do dito R. Leal, pessoas de grande rectidão moral e honestíssimas, que não mereciam ver o seu nome associado a tal falta de ética. Não se trata de ter os ditos ou não, trata se é de educação e rectidão moral e ética que, mesmo sabendo que são valores em desuso, alguns ainda prosseguem.

quinta-feira, 11 junho, 2009  
Anonymous Anónimo disse...

Mais sabia eu que pedindo ao gestor deste blog para colocar esta mensagem, o chorrilho das "bocas" seria grande.

Às malvas.

O que gostaria de informar, principalmente, aos anónimos de grandes tomates é que a minha irmã Xana é uma pessoa e eu sou outra completamente diferente.

Para os que enaltecem a república, sempre podem gastar um pouquinho do tempo que teem por útil e lerem isto, que bem reflecte os milhões que vão ser gastos para o ano:

"Não devia haver comemorações nenhumas. É um episódio triste da história portuguesa e não devia haver comemorações nenhumas. Para todos os efeitos foi uma ditadura. A ditadura não nasceu do vácuo, nasceu da República!


Vasco Pulido Valente em entrevista ao Correio da Manhã e à Rádio Comercial sobre as comemorações do centenário da república:


ARF - Vamos comemorar os 100 anos da República. No livro que lançou, sobre no período de 1910 a 1917, é muito contundente com a I República. Diz que foi um regime terrorista. Vamos andar um ano a chamar heróis a cidadãos que usaram o terrorismo?

VPV - Criaram essa República e que conseguiram a partir de 1913 governar em partido único. Esse partido governou sempre, excepto numas interrupções provocadas por golpes militares, pronunciamentos militares, em que usaram, para se manter, métodos terroristas. E que viveu sempre em guerra com o País, guerra aberta com o País.

ARF - E porque é que se comemoram os 100 anos?

VPV - Eu sei porque é que se vai comemorar isso. Porque a República teve uma reabilitação póstuma, que foi a reabilitação salazarista. Como os republicanos eram contra o Salazar e havia muita gente que era contra o Salazar começou-se a achar que a República era boa porque era antisalazarista. Porque os republicanos, certos republicanos, eram antisalazaristas e começou a criar-se a lenda de que se a ditadura salazarista era má a ditadura republicana, a que ninguém chamava ditadura, era boa. Hoje em dia passa por ter sido um regime muito meritório que não foi. Ainda por cima, o nome oficial da República era República Democrática Portuguesa. Tinha lá aquela coisa, mas aquele democrático estava ali como estava nos países comunistas.

ARF - Coreia do Norte e outros.

VPV - Quase a Coreia do Norte. Não era tanto.

ARF - Vai participar nessas comemorações, já foi contactado?

VPV - Não.

ARF - Não foi porque tem essas opiniões?

VPV - Não.

ARF - Não convém às comemorações dos 100 anos?

VPV - Não sei se convém ou não convém. Mas compreendo que pessoas que queiram comemorar não me queiram. Mas houve uma senhora deputada que me veio falar em nome do senhor presidente da Assembleia da República. E eu expliquei à senhora deputada que já não tinha idade para receber recados por interposta pessoa do doutor Jaime Gama, que eu conheço desde os 18 anos. Portanto, se o doutor Jaime Gama me quiser falar não tinha mais que agarrar num telefone e telefonar-me. Não telefonou mais. E foi o único contacto que eu tive. Lembrei-me agora.

LC - Na sua opinião não devia haver comemorações?

VPV - Não devia haver comemorações nenhumas. É um episódio triste da história portuguesa e não devia haver comemorações nenhumas. Para todos os efeitos foi uma ditadura. A ditadura não nasceu do vácuo, nasceu da República."

António Carrilho

quinta-feira, 11 junho, 2009  
Anonymous Anónimo disse...

Alguém me explica quem são as forças vivas da cidade?
Portalegre deve ser uma das cidades mais decadentes de Portugal e acho muito bem que existam eventos como este que deiam algum movimento ou até troca de opiniões (embora o nível dos comentários que li esteja no limiar da podridão). Se vivemos em democracia, provavelmente deviamos respeitar opiniões contrárias....
Mas, retomando a minha pergunta...forças vivas?? Cidade morta e forças "vivas"???? Não será um paradoxo?

sexta-feira, 12 junho, 2009  
Anonymous Anónimo disse...

Existem mais " Altezas Reais " nesta "Rés Pública" do que voçes pensam, cambada de ignorantes.
Estes espertos que para aqui vêem vomitar autênticas diarréias cerebrais esqueçem-se que são republicanos iguais a voçes que todos os dias vos comem as orelhinhas com feijão branco.
Pensem só na quantidade de xulos que passaram pela presidência, as regalias que têm e quanto representa esse custo aos contribuintes. Dava para governar uma dúzia de Altezas...

Força António, esta cambada não sabe o que anda cá fazer!

sexta-feira, 12 junho, 2009  
Anonymous Anónimo disse...

Aparentemente este é o blog mais comentado da cidade. É uma pena ter virado uma arena de troca de ofensas "futepolíticas". Gostava de ver aqui discutidas soluções para os problemas da cidade, do país e do mundo. Será pedir demais? Será ingenuidade?

Carrilho, compreendo o teu ponto de vista, mas não sei se é argumento suficiente para virar monárquico. Afinal todas as formas de governo tiveram, ao longo da história da humanidade "tumores" que ninguém quer recordar e não sei até que ponto os Senhores Duques de Bragança são uma alternativa.

sexta-feira, 12 junho, 2009  
Anonymous Anónimo disse...

O problema é que as pessoas pensam que se tivéssemos um regime monárquico voltávamos a andar de coche e com os pagens atrás.
Eu sempre preferia a familia Bragança em vez da familia Silva, Sampaio, Soares, Eanes,...etc, etc... Assim como assim não fazem nada e temos de os governar a todos!

sexta-feira, 12 junho, 2009  
Anonymous Anónimo disse...

Ahahahha!!

sexta-feira, 12 junho, 2009  
Anonymous Anónimo disse...

Vendo o programa da visita não percebi uma coisa:

- Porquê é que vão visitar a Santa Casa da misericórdia de Alegrete e não visitam a de Portalegre?

sexta-feira, 12 junho, 2009  
Anonymous Anónimo disse...

porque nestas visitas a cor ainda tem uma palavra a dizer.

sexta-feira, 12 junho, 2009  
Anonymous Anónimo disse...

Não, não é pela cor , é pela vergonha do que se passa na de Portalegre, e até ficava mal aos Duques e acompanhantes porem os pés numa instituição podre onde de Santa só tem o nome.

Bem haja a santa Casa da Misericórdia de Alegrete e seus dirigentes.

Para quem não sabe a SCM Portalegre está sob investigação por parte de várias entidades, locais e nacionais.

Muita tinta irá correr ainda, aguardem.

sábado, 13 junho, 2009  
Anonymous Anónimo disse...

dantes a celeste tapadas assinava...
agora é anónima...

sábado, 13 junho, 2009  
Anonymous Anónimo disse...

Se fosse era Celeste Tavares e não Celeste Tapadas. E o comentário não é dela.

Infelizmente os comentários á santa casa têm que continuar anónimos porque continuam as represálias.

sábado, 13 junho, 2009  
Anonymous Anónimo disse...

Continuam e não vão acabar.
Curiosa é a troca de nomes, ou será propositada. É que por ironia o outro nome é o de alguém que muito - demasiado - teve a ver com uma Santa Casa cá da região até que foi possível pôr-lhe um ponto final.

domingo, 14 junho, 2009  
Anonymous Anónimo disse...

O braço direito da Celeste Tavares é Ribeirinho Leal, o Plagiador.

É caso para dizer que quando se faz uma panela logo se faz um testo para ela...

Credibilidade PRECISA-SE!!!

domingo, 14 junho, 2009  
Anonymous Anónimo disse...

«Afonso Costa não se enganava ao recusar paliativos. Em persistir no erro talvez estivesse a única salvação (...). Os próprios democráticos acusavam Afonso Costa de exercer uma «tirania grosseira e vexatória» sobre o país, o partido e «até sobre o grupo parlamentar». Ao que parece, ouvia apenas um círculo de amigos íntimos e apenas por ele distribuía os seus favores oficiais e outros. Este círculo juntava gente dúbia, como o seu irmão Artur, o seu cunhado José Abreu, o seu sócio de escritório Germano Martins, dois procuradores do dito escritório, um jornalista de O Mundo e um tal Tudela, cuja profissão não se conhece. E também, na periferia, alguns ministros sem prestígio nacional ou político entre os quais Alexandre Braga, um batoteiro notório, e Ernesto Vilhena, que viera directamente do franquismo para os democráticos. O grupo, pelo menos pouco saboroso, acabara por ter uma existência pública e por se tornar conhecido sob o nome de «casa civil». Segundo corria, a «casa civil» estava encarregada de espiar o partido, especialmente os deputados, e com ela Afonso Costa tomava todas as decisões importantes. Os órgãos formais de poder - o Conselho de Ministros, o grupo parlamentar e o directório do PRP - não eram ouvidos, recebiam ordens. Há provas de que não levavam a bem estes modos autoritários do «grande caudilho». Contou mais tarde o insuspeito Alexandre Braga que «muitos dos mais categorizados» dirigentes do partido não perdiam uma oportunidade de criticar Afonso Costa nos «lugares de conversa e de intriga política». nos «cafés» e nas «ruas» (...) As histórias da «casa civil», da sua influência oculta, dos negócios ilegais que patrocinava, das suas ligações aos subterrâneos da política e aos grupos terroristas talvez sejam, em parte, mitológicas. Sucede que eram dadas por verdadeiras no próprio PRP (...) Os notáveis democráticos desaprovavam os seus métodos, achavam a «casa civil» corrupta e prepotente e, como o resto dos portugueses, detestavam o «tirano». Mesmo no tempo terrível do exílio e da obscuridade não se sente em ninguém sombra de afecto pela criatura. Como António Maria da Silva declarou a Alexandre Braga em Maio de 1918, no apogeu do sidonismo, Portugal e o Partido Republicano viviam melhor sem ele.»

Vasco Pulido Valente, Portugal - Ensaios de História e de Política, Aletheia Editores, 2009

domingo, 14 junho, 2009  
Anonymous Anónimo disse...

É pá falemos de eleições das que passaram que os chuchas andam caladinhos que nem ratos e das que aí vêm,por exemplo já viram que se conhecem os candidatos ás autárquicas em todos os concelhos menos em Arronches o que se passa?

domingo, 14 junho, 2009  
Anonymous Anónimo disse...

Ó amigo os caciques em Arronches andam cheios de medo,querem dominar tudo mas está a escapar-se muita coisa por exemplo uma lista que está na forja com elementos que foram na lista deles,já cá se sabe que a malta está a organizar-.se e muito bem com reuniões em casas particulares,adegas,garagens etc.

domingo, 14 junho, 2009  
Anonymous Anónimo disse...

Calma que o Mata Cáceres ainda não disse que era candidato à Câmara. Pelo que se consta anda com as pernas a tremer desde que o PS apresentou o nome do seu candidato. Se calhar o PSD real (não o Serrote) anda a tentar encontrar um candidato para chegar aos calcanhares do José Escarameia.

domingo, 14 junho, 2009  
Anonymous Anónimo disse...

Vai pra Nisa... Quem fica cá

domingo, 14 junho, 2009  
Anonymous Anónimo disse...

Ouvi falar num Dr.para Arronches candidato pelo Movimento Independente em coligação com outras forças políticas,vai haver umas surpresas nessa terra onde nunca acontece nada.

domingo, 14 junho, 2009  
Anonymous Anónimo disse...

Porque será que foi a Alegrete o papalvo do candidato a rei? Serrotices claro está? E já agora, tristes daqueles que se consideram monárquicos e conseguem partilhar o ar com Duques de Bragança, Câmaras Pereira e quejandos. É com casos destes que se acaba com a esperança monárquica. O Dr. Sardinha ali de Monforte era um bom exemplo de um esclarecido monárquico que foge ao estereótipo folclórico da toirada, fados bramidos e autocolantizinho na traseira do carro.

domingo, 14 junho, 2009  
Anonymous Anónimo disse...

Em Arronches qualquer lista que ganhe diferente da ex comunista e do marido, será sempre bom.
já viram que esses dois cromos estão metidos em todas as instituições de Arronches? E aquelas onde está ela é que é o bom e o bonito, nem os camaradas de partido do marido escapam, e não tenham dúvidas que se ganharem os mesmos a pouca vergonha da provedora e quejandos continuará.
Abaixo a corja.

segunda-feira, 15 junho, 2009  
Anonymous Anónimo disse...

É por este tipo de atitudes dos "Sucias" que me vão fazer ir votar contra o PS.
Estão de assalto à Câmara Municipal de Portalegre???? Mas não estejam tão empolgados...
Pode ser que lhe saia "o tiro pela culatra"

segunda-feira, 15 junho, 2009  
Anonymous Anónimo disse...

Vivemos em democracia, toda a gente tem o direito a manifestar as suas opiniões, até as mais absurdas e decadentes. Caso se tenham esquecido, foi esta uma das conquistas de Abril. Por mim acho absurdo e decadente esse apego a velhas instituições que já há um século cairam de podres. Mas como prezo muito a liberdade, até aceito que os palhaços se passeiem. Não posso é deixar de me rir.

segunda-feira, 15 junho, 2009  
Anonymous Anónimo disse...

E os reizinhos a fingir vieram homenagear quem? Três figuras gradas do regime fascista, já viram? Nisso ninguém falou. Que vergonha para eles, ou não, já que pertencem ao ramo absolutista e obscurantista dos Bragança e não ao ramo liberal e democrático que governou em Portugal desde D. Pedro IV até D. Carlos.

segunda-feira, 15 junho, 2009  
Anonymous Anónimo disse...

Vivemos em Democracia.

Pois vivemos, apesar de já haver demasiada gente a achar o contrário, mas isso são outros assuntos.

Quero ver que tipo de "artistas" vão engrossar o circo que se prepara para acontecer para o ano.

E essa democracia conquistada em 25 de Abril vai servir "lavar" os restantes 65 anos? Vão reinventar a forma de fazer os calendários?

Rir sempre foi um bom remédio, tanto que é aconselhado aos tristes.

António Carrilho

segunda-feira, 15 junho, 2009  
Anonymous Anónimo disse...

Pois a Suécia, pois a Dinamarca e até a Espanha... são monarquias que saem caras aos seus cidadãos. Figuras decorativas, que não governam, não trabalham e só servem para gastar o dinheiro dos impostos. Posso não gostar do actual Presidente mas foi a maioria do povo português que lá o pôs. E daqui a 4 anos pode pôr lá outro, não um paspalho que herdou o poleiro de outro paspalho.

segunda-feira, 15 junho, 2009  
Anonymous Anónimo disse...

Quanto à figuras do regime fascista, não percebo de que está a falar, se é das pessoas que foram homenageadas pela RAP, se as outras que ocupam, no ano de 2009, cargos de relevo na política regional e nacional.

Digo mais, do Dr. Plínio Serrote e do Dr Alfredo Subtil, não me pronuncio, pois não cheguei a conhece-los bem.

Já no que diz respeito ao Dr Manuel Inácio Pestana, só gostaria de afirmar que há nesta cidade bastantes que faziam bicha a pedir batatinhas e se esqueceram do Homem com demasiada facilidade.

São os valores do Dr. Manuel Inácio Pestana, da ajuda e da amizade, que advogo, não os dos outros.

Achar que fazer homenagens a pessoas como estas é brincar aos reizinhos, para mim é para o lado que durmo melhor.

Tanto mais que perfilham desta maneira de ver este país pessoas como: João Amaral, Miguel Esteves Cardoso, Rui Carp, Manuel Ivo Cruz, José Falcão e Cunha, Manuel Lencastre, Pedro Ayres Magalhães, Gonçalo Ribeiro Teles, José Tomás de Mello Breyner, Luis Coimbra, Rui Barbosa e António Lobo Xavier.

Que sinceramente, também prefiro aos outros.

António Carrilho

segunda-feira, 15 junho, 2009  
Anonymous Anónimo disse...

E uma sondagemzinha para as Autarquias 2009 em Portalegre nao ia?

segunda-feira, 15 junho, 2009  
Anonymous Anónimo disse...

Sondagem para quê?
Já se sabe quem ganha!!

segunda-feira, 15 junho, 2009  
Anonymous Anónimo disse...

Pois que pena não ter chegado a conhecê-los bem! Eu conheci, e lembro-me e nunca me vou esquecer! Sendo jovem como parece que é, lastimo muito que esteja agarrado a valores e personalidades que já passaram à história. O mundo avança e evolui, sabe? Abra a sua cabeça e seu coração à mudança e à renovação e à modernidade. Para quê ficar estagnado em tempos que já lá vão? A história não pára, meu caro Carrilho, e somos nós que a fazemos. Não perca a sua oportunidade. Os mortos nunca lhe agradecerão.

segunda-feira, 15 junho, 2009  
Anonymous ARREBENTA disse...

Dedicado a um montão de pessoas que não posso enumerar, porque não cabem aqui... Obrigado
Nada há de mais maravilhoso, numas eleições, do que a Abstenção. Ela representa aquilo que, no falar comum, indica estar-se a mandar à merda o Sistema, sem rodeios, e por atacado.
Não foi por acaso que os cágados e os dinossauros do Regime imediatamente lançaram as mãos à cabeça, quando a coisa subiu para níveis insuspeitados.
Meus amigos, em Democracia, não há níveis insuspeitados, e o ideal seria que ninguém tivesse posto os pés nas Europeias, para que, no hemiciclo de Estrasburgo, de repente, uma multidão de eleitos olhasse para um molho de cadeiras vazias, e perguntasse, "mas o que é que sucedeu ali?...", e logo se ergueriam as atávicas vozes, a clamar, "ali houve uma coisa, de seu nome, outrora, Portugal, e que, hoje, para mais nada serve do que ser uma bandeira de conveniência, para o Crime Organizado poder continuar a singrar..."
Curiosamente, em 2009, os candidatos com perfis e carismas mais interessantes situavam-se do Centro para a Direita, e cito-os, com algum orgulho: Nuno Melo, o excelente próximo líder do CDS/PP, e Paulo Rangel, um daqueles que, em muitos dos últimos anos, talvez por ter um ar de gajo que nunca cresceu, me não fez virar a cara imediatamente para o lado.
O Eduardo sabe que lhe fiz um voto com dedicatória, num dia complicado da minha existência...
À Esquerda, Louçã é um brilhante orador, embora tema que as missas laicas o lancem para os braços de um PS em desespero. Já estou, como alguém alguma vez disse, o Bloco de Esquerda devia chamar-se apenas Bloco e preocupar-se mais, como tem feito, com uma minuciosa e eficaz remoralização da Vida Pública. E fazer uma severa limpeza interna dos oportunistas que por lá garimpam. Quanto às Ideologias, era mandá-las diretamente para o Das Caldas, porque nós vivemos na Era do Civismo, e não das prateleiras dos cadáveres das Ideias.
O PCP tem, e suponho que desta vez o perceberá, de arranjar um candidato com nível europeu, em vez de insistir numa gaja com ar de mulher a dia para nos representar lá fora: bem basta que, quando se fala em Portugueses, ainda venham as célebres "concièrges" de Paris (a última deixou a casa do meu amigo Julien, para ser substituída por dois seguranças, mas suponho que isso faça parte da decadência das grandes urbes europeias. Brevemente, todos viveremos dentro, ou à porta, de condomínios fechados. Adorável Europa...)

Continua...

segunda-feira, 15 junho, 2009  
Anonymous ARREBENTA disse...

...continuação
ital Moreira merece um lugar à parte.
Do meu humilde ponto de vista, representa o Nojo do Nojo, e apanhou nos cornos com uma altíssima subtileza, como, suponho, só as Mais Belas Eleições do Mundo lhe poderiam ter dado. Aquele partido, que, outrora se chamava Partido Socialista, e que hoje é o feudo dos Pedófilos, dos Maçóniços, das Bichas Morte-em-Veneza e dos jovens abutres sem excrúpulos, quando nós pensávamos já ter batido no fundo, na efígie do Homem de Plástico do Heron-Castilho, ainda conseguiu arranjar uma epígrafe para a efígie do Asco, que foi ir buscar aquele subproduto de cabeleireiros rascas, o Renegado, para quem já estava enojado finalmente poder vomitar-lhe, e vomitaram-lhe, e bem, com vinte e tal por cento em cima. Espero -- e agora é o meu lado profundamente humano a falar -- que o PS seja justo com Vital Moreira, e assim como arranjou uma política de proximidade com as Saunas "Gay", para Carrilho, e um acesso de 4 estações de "Métro", para aquelas famílias miseráveis "du XIII ème", de extensa prole muçulmana, para Ferro Rodrigues, também dê a Vital Moreira uns fundos "freeportianos", para abrir um cabeleireiro de caniches, em Chipar de Baixo, de onde nunca devia ter saído. Nisso, o PSD foi muito generoso, já que deu a Rita Seabra uma Editora, quando ela não merecia mais do que uma esfregona e um balde, para tratar das escadas de tanto prédio devoluto de Lisboa...
Resumindo o que aconteceu no dia 7: Santo António, afinal, não era o "Quebra Bilhas" de que tanto se falava, mas, há, e isso só se saberá quando se recuperarem as caixas negras do AF 447, uma forte probabilidade de ter sido mais uma metempsicose histórica do célebre Heterossexual Passivo. Deus quis que fosse santo, nesta real impossibilidade de quebrar bilhas, e sobretudo na dignidade que teve, ao longo da vida, de não deixar que lhe quebrassem adele, ao contrário de António Calvário e Artur Garcia, que, ontem, nas Marchas, mostraram estar em plena forma, cheios de dois e três amores, como o Marco Paulo... ah, mas eu estava era a falar de Eleições, e o que sucedeu no Dia 7 foi um genial gesto de Civismo: dois movimentos, os daqueles que, maduramente, perceberam que a forma mais elementar de assustar o Papão do Autoritarismo era enconstarem-se ao Bloco mais forte, e pregarem-lhes um susto, chamado PSD, que, por mais esfrangalhado que esteja, se mostrou à altura de uma renascença democrática; o outro, ainda mais subtil, foi o daqueles que disseram "NÃO" ao Partido de Sócrates, recostando-se, confortavelmente, nas suas zonas de emocionalidade política, e de aqui um sincero abraço de parabéns aos eleitores do Bloco, do PCP, do CDS/PP, e das forças de menor expressão: todos vocês deram um exemplo de espantosa maturidade democrática, ao mostrar, que, um dia, será impossível fazer Maiorias, sem, pelo menos, três partidos decentes...

continua...

segunda-feira, 15 junho, 2009  
Anonymous ARREBENTA disse...

continuação...
Venha depressa esse dia...
O meu último carinho é uma citação de Laura "Bouche", que tantas vezes me diz que aquilo de que precisamos não é de mudar de Governo, é de mudar de Povo. Estas Eleições vieram mostrar que isto é quase verdade: basta que 60% desse Povo fique em casa, em dia de votar, 20% a olhar para os milhões de Cristiano Ronaldo -- num Mundo normal, não era imediatamente aberta uma investigação, para saber quem é esse Presidente do Real Madrid, e dos Bancos que estão por detrás dele?... Mas quem sou eu para pedir uma coisa dessas, numa terra onde se sabe que o Caso Heron-Castilho está nas mãos de uma gaja casada com um mafioso procurado internacionalmente?... --, outros 20% a irem de joelhos, a Fátima, e os restantes, à falta de Fado, a consumirem "pastilhas" nas discotecas nacionais, "ad aeternum".
Para dizer verdade, talvez ainda devessem ficar em casa mais uns pózinhos percentuais: uma abstenção de 70% talvez, finalmente, pudesse começar a revelar resultados eleitorais à altura de uma Comunidade de cariz Europeu, no início do séc. XXI.
Maturidade.

segunda-feira, 15 junho, 2009  
Anonymous Anónimo disse...

A monarquia é um sistema tão legitimo como as republicas, são opções que os povos podem tomar a qualquer altura.

No Caso Português vivíamos numa monarquia democrática e parlamentar, que devido ao rotativismo entre dois partidos, tal como hoje e curiosamente com muitos personagens descendentes dos personagens desse tempo não estava a dar resposta aos problemas do povo. Depois veio a republica e foi 500 x pior até ao Estado Novo em que Salazar consegui colocar isto direito, mas acabou por comprometer o futuro da nação pelo facto de não ter largado o poder na altura certa e aberto o país.

A república nunca se legitimou por um referendo, isso era importante!

segunda-feira, 15 junho, 2009  
Anonymous L.C. disse...

Não sei se em Espanha o Rei aproveita os discursos solenes para dar recados ao governo, ou se em Itália o Presidente passa a vida a mandar indirectas a Berlusconi, ou se na Suécia o Rei passa a vida a discordar de quem governa. Nós por cá, temos este viciozinho que vem do tempo de Eanes: os presidentes não têm poder nenhum mas, talvez por isso, vivem numa espécie de complexo de inferioridade o que se traduz em puxões de orelhas discursivos, e em chumbos de leis votadas pela maioria da Assembleia da República. O Presidente é assim uma espécie de pai moral, um vigilante, um redentor, que fala muito mas faz pouco e que apenas vai influenciando aqui e ali, sem grandes consequências. A não ser quando usa a "bomba atómica" e desfaz governos e maiorias, como aconteceu com a lamentável atitude de Sampaio quando demitiu Santana Lopes. Aliás, a única decisão que ficou para a História desses longos e chatos 10 anos de Jorge Sampaio.

O povo já percebeu que o Presidente é assim uma espécie de Rei, em versão a gasóleo, e que trocou as janelas manuelinas palacianas por uma marquise de alumínio anodizado. E vive feliz para sempre...

Cavaco Silva a quem devemos a estrutura de desenvolvimento que hoje temos, e que no essencial gerou os males estruturais de que hoje o país padece,(e que beneficiando dessa característica tão comum aos portuguesinhos que á a amnésia, conseguiu ser eleito) volta agora ao discurso paternalista de que precisamos de ser mais poupadinhos. Genial ! Os autarcas andaram a fazer construções faraónicas, de rotundas a centros de congressos, os governos andaram a comprar material bélico e submarinos, transformámos o país numa placa giratória de auto-estradas, este governo quer TGV e aeroporto e dá computadores a crianças que nem sabem a tabuada, e agora os contribuintes que poupem? Bom, o que nos vai acontecer é que depois das eleições aí vamos ter mais uma carrada de impostos para a classe média pagar.

A dramatização do estado do país em permanentes chamadas, alertas, de nada valem. Já percebemos que Sócrates até ao fim do mandato se vai comportar como uma esposa largada num centro comercial com um cartão VISA platina, que já não tem plafond, mas que ela nem sabe o que é isso. E nós cidadãos seremos os mansos que iremos pagar até a carroça da Mitra nos recolher às escondidas noite dentro.

O problema de Cavaco é que ele até pode ter toda a razão do Mundo, mas para quem ainda tem alguma memória Ram não esquece que foi nessa longa noite do Cavaquistão, de Aguiar da Beira a Boliqueime, com paragem por vários paraísos fiscais, que começou esta saga lusitana. A telenovela até pode ser outra, mas os actores são ainda os mesmos e os autores os mesmos velhadas. Há apenas um novo player: Paulo Rangel. E é nestes protagonismos novos que por vezes tudo muda. On verra !!!.

segunda-feira, 15 junho, 2009  
Anonymous Anónimo disse...

O mal de Cavaco é que ( e parafraseando com a devida vénia, Clara Ferreira Alves) "ele saiu de Boliqueime mas Boliqueime nunca saiu dele".

segunda-feira, 15 junho, 2009  
Anonymous Anónimo disse...

Comentador Arrebenta, o senhor arrebenta mesmo com a gente com tanta verborreia e caudal palavroso. É capaz de ter muita razão, mas quem é que consegue lê-lo até ao fim?

segunda-feira, 15 junho, 2009  
Anonymous Anónimo disse...

Não acredito que no fim da primeira década do sé XXI aqui estejamos a discutir entre monarquia e républica e a dizer que o Salazar endireitou o país. Não passamos todos de um bando de frustrados, com traumas de crescimento mal resolvidos, um bocado esqizofrénicos e passados do prazo há anos! Caramba, já cheiramos mal! Deixemos o passado lá nos calhamaços e preocupemo-nos com os desafios do futuro!

segunda-feira, 15 junho, 2009  
Anonymous Anónimo disse...

Há aqui comentadores que juntos como Ribeirinho davam uns bons escritores... de nada!

segunda-feira, 15 junho, 2009  
Anonymous Anónimo disse...

Ja se sabem quem ganha as autarquicas????
Quem é????

segunda-feira, 15 junho, 2009  
Anonymous Anónimo disse...

...mas que lufada de ar fresco
á muito tempo que não saboreava a escrita do Comentador Arrebenta.
Arrebenta, é um enorme prazer Lêr as suas crónicas

terça-feira, 16 junho, 2009  
Anonymous Anónimo disse...

A propósito das Democracias e das comemorações do centenário da república, repito, porque me parece que não leram, ou não quiseram ler:

"VPV - Não devia haver comemorações nenhumas. É um episódio triste da história portuguesa e não devia haver comemorações nenhumas. Para todos os efeitos foi uma ditadura. A ditadura não nasceu do vácuo, nasceu da República."

E é por causa disto, coisa que ninguém contesta, que pergunto, que centenário se vai comemorar?

É que a comissão, promovida por decreto lei (que aconselho a lerem) utiliza os termos democracia, liberdade cidadania.

Há aqui qualquer coisa que não bate certo!

António Carrilho

terça-feira, 16 junho, 2009  
Anonymous Anónimo disse...

Em Portugal e em toda a Europa, monarquia é folclore, atracção turistica, enredos para revistas do coração. Só isso. Que discusão ridicula!

terça-feira, 16 junho, 2009  
Anonymous leitor disse...

Pra quem tiver paciência de ler o "Arrebenta" fica com umas ideias novas e a meu ver acertadas.
LEIAM...

terça-feira, 16 junho, 2009  
Anonymous Anónimo disse...

Parece que há por aqui mais monarquicos que serrotes e companheiros limitada, não?

terça-feira, 16 junho, 2009  
Anonymous Anónimo disse...

é que os serrotes são todos monárquicos, são da ala do fadista que é deputado do psd e queria ser rei e tirou a comenda ao ribeirinho

terça-feira, 16 junho, 2009  
Anonymous Anónimo disse...

Viva o grande ADOLFO, o assessor do presidente da câmara de Arronches é dos poucos que apesar das muitas festas e inaugurações nunca se vê nos beberetes nem nas almoçaradas da propaganda do presidente, viva o anti papalmoços.
Um exemplo a seguir.

terça-feira, 16 junho, 2009  
Anonymous Anónimo disse...

Mas quem é que anda aqui a meter veneno contra arronches?

Oh homem se tem alguma coisa a dizer diga, porque este até é um espaço livre, mas já deve ter percebido que ninguém lhe liga nenhuma. Desista! Não nos interessa! Não nos aborreça!

Vaça um blogue em Arronches para ver se tem mais sa´ida.

terça-feira, 16 junho, 2009  
Anonymous Anónimo disse...

O Adolfo já anda "mal da barriga"...
Coitadinho dele!
Porque será?

terça-feira, 16 junho, 2009  
Anonymous Anónimo disse...

Mas quem é que tem paciência para comentar estes dois "parvalhões e falidos" duques? Quem? Sinceramente, o que faz fazia falta era um António Oliveira Salazar...

terça-feira, 16 junho, 2009  
Anonymous Que raio de gajos são estes todos? disse...

Isto é Portalegre e amigos no seu melhor. Ah tristes, e depois queixam-se do sub-desenvolvimento Este blog deve ser, a nível mundial, dos que tem mais bacoradas por centímetro quadrado! Estão de parabéns os portalegrenses. Irra que são burros!

terça-feira, 16 junho, 2009  
Anonymous Anónimo disse...

Quem quiser emprego em arronches tem que ser amigo da 1ª dama,tá tudo a mudar de camisola e quando perderem como é?

terça-feira, 16 junho, 2009  
Anonymous Anónimo disse...

Camisolas há muitas seu palerma!

terça-feira, 16 junho, 2009  
Anonymous Anónimo disse...

Mas quem é que tem paciência para comentar estes dois "parvalhões e falidos" duques? Quem? Sinceramente, o que faz fazia falta era um António Oliveira Salazar...

Fique o caríssimo sabendo que o Dr. Oliveira Salazar era monárquico, só foipena não ter feito o mesmo que o Franco aqui ao lado...

quarta-feira, 17 junho, 2009  
Anonymous Anónimo disse...

Ah, pois foi! Aqui ao lado o Franco fez muito melhor: mandou matar milhares de compatriotas seus cujo único crime era pensarem de maneira diferente da dele. Abaixo o os regimes fascistas de Salazar e Franco. Abaixo todos os saudosistas bafientos e falhados que mijam para tás como a burra!

quarta-feira, 17 junho, 2009  
Anonymous Anónimo disse...

Porque será que o blog de arronches em noticias censura os comentários que questionam o poder implantado em Arronches e que tudo controla como no tempo da ditadura.

quarta-feira, 17 junho, 2009  
Anonymous Anónimo disse...

Concerteza que ninguem apoia o que Franco fez na Espanha, mas a realidade é que conseguiu unir os espanhóis em torno da figura do Rei.

Se quiser comparar o regime fascista de Salazar com Franco, Mussolini ou mesmo Hitler, então teremos também de referir os milhões que morreram ( e ainda morrem ) à mercê do regime comunista, como no caso da revolução bolchevique, Sibéria.
O regime de Salazar comparado com qualquer um destes, seja direita ou esquerda até foi muito brando.
Mas isso é conversa para outro tópico.

quarta-feira, 17 junho, 2009  
Anonymous Anónimo disse...

Concerteza que neles incluo o regime estalinista e todos os regimes que se impuseram pela repressão e pela violência, desrespeitando aquilo que de mais intrinseco existe no ser humano, o desejo de ser livre. É por isso com grande estranheza que vejo serem para aqui chamados nomes de abutres mortos, a propósito de uma discussão entre monarquia e républica. Quem são afinal estes monárquicos que veneram descendentes do Senhor Rei D. Miguel?

quarta-feira, 17 junho, 2009  
Anonymous Anónimo disse...

o blog arronches em noticia censura as criticas ao poder implantado porque o administrador é da mesma corja,assim como o pasquim Noticias de Arronches comem todos á mesa do orçamento,mas a mama vai acabar quando o gil perder as eleiçoes,os jornalistas voltam á base ou mudam-se para o outro lado.

quarta-feira, 17 junho, 2009  
Anonymous Anónimo disse...

El Ayuntamiento de Badajoz (PP) está levantando un muro que borra uno de los principales iconos de la represión franquista. Las "obras de refuerzo y acondicionamiento del cerramiento perimetral en el cementerio de San Juan", proyecto que comenzó a ejecutarse el 5 de junio con cargo al Plan E del Gobierno, suponen en la práctica la construcción de un muro que oculta las tapias del viejo camposanto, escenario de fusilamientos masivos tras la entrada a sangre y fuego en la ciudad de las tropas del general Juan Yagüe.

El Gobierno local argumenta que la debilidad arquitectónica de las tapias obliga a la obra, concebida para integrar el camposanto en la ciudad y quitar de la vista el cementerio, situado en una zona en pleno desarrollo urbanístico.

Los historiadores Francisco Espinosa, Ian Gibson, Julio Aróstegui, Mirta Núñez, Julián Casanova, Josep Fontana, Paul Preston, Hilari Raguer, Alberto Reig Tapia, Ángel Viñas y Helen Graham, entre otros, suscriben el manifiesto No se puede esconder el pasado, que también intentó en vano influir contra el proyecto.

El texto recuerda que "es posible que Badajoz sea la ciudad en que en relación con su población un mayor número de personas fueran asesinadas a consecuencia del golpe militar y de la masacre tras su ocupación". Y añade: "Las blanquísimas tapias del cementerio fueron una de las primeras evidencias ante el mundo de la política de exterminio programado". Unas 1.200 personas murieron en los días posteriores a la entrada de Yagüe.

quarta-feira, 17 junho, 2009  
Anonymous Anónimo disse...

Aprendam senhores monárquicos da treta," o que o Franco fez aqui ao lado". Foi preciso vir um espanhol para vos dar lições de história! Tenham vergonha!

quinta-feira, 18 junho, 2009  
Anonymous Anónimo disse...

Agradeço ao amigo espanhol o seu post, e estou inteiramente de acordo com ele. A história não deve ser apagada nem disfarçada.
Só uma observação, nós por cá também temos uma besta ( sem ofensa ao animal ) que quis fazer uma coisa parecida no Campo Pequeno...

A mensagem que eu quis fazer passar, e por favor veja se os seus dois neurónios estão a tomar atenção, foi que em Espanha, após um período de república a melhor forma de por fim à situação de guerra cívil foi instaurar novamente a Monarquia e unir todos os espanhóis em torno da figura do Rei. Percebeu ou quer um desenho?!

Agora um pequeno exercício de história:
Na história recente, quantos reis tiranos consegue indicar?
E ditadores e tiranos de regimes republicanos?
Quererá isto dizer alguma coisa?
Então entre os três façam um esforço e pensem nisso.

quinta-feira, 18 junho, 2009  
Anonymous Anónimo disse...

"Aprendam senhores monárquicos da treta," o que o Franco fez aqui ao lado". Foi preciso vir um espanhol para vos dar lições de história! Tenham vergonha!"

Este fulano e os seus dois dois neurónios, como não tem esperteza para argumentar vai copiar notícias a outros blogues e depois diz que foi um espanhol que escreveu.
Ó ignorante se quiseres também vou copiar textos e depois venho aqui dar-te uma lição de história, ok?

quinta-feira, 18 junho, 2009  
Anonymous Anónimo disse...

E depois o ribeirinho é que tem a fama de plagiar...

quinta-feira, 18 junho, 2009  
Anonymous Anónimo disse...

Sem passar pelos insultos, que dispenso, era para lembrar os historiadores da leitura fácil, dois aspectos:

1- O Rei de Espanha, a contragosto das instruções do Franco, negociou com o Santiago Carrillo (não, não é meu primo) a instauração da Democracia.
Para os menos sabedores, Santiago Carrillo era presidente do Partido Comunista de Espanha.

2- Aquando do golpe fascista e assalto ao Parlamento espanhol em 1981, o Rei foi um dos primeiros a encabeçar, em pessoa, o aniquilamento da intentona.

António Carrilho

quinta-feira, 18 junho, 2009  
Anonymous Anónimo disse...

Mas o que quer este António Carrilho? Eu já não tenho paciência para isto... Porraaaa!!!!

quinta-feira, 18 junho, 2009  
Anonymous Anónimo disse...

Arre que é demais! Senhor Carrilho ( ou deverei dizer Sr. D. Carrilho?) fique lá com as suas altezas, realezas, nobrezas. Nós que não passamos de plebeus ( nem queremos), não há nada nem ninguém que nos convença da bondade desses antigos regimes que defende. Viva a República!!!

quinta-feira, 18 junho, 2009  
Anonymous Anónimo disse...

Bom, damos por encerrado este assunto, espero poder encontrá-los em uma próxima oportunidade e assim, mais uma vez, despeço-me com amizade...

... e não se esqueçam....

... Deus...Pátria... Rei !!!

quinta-feira, 18 junho, 2009  
Anonymous Anónimo disse...

Para o anónimo que disse...

"Por mim acho absurdo e decadente esse apego a velhas instituições que já há um século cairam de podres. Mas como prezo muito a liberdade, até aceito que os palhaços se passeiem. Não posso é deixar de me rir."

Rio consigo a bandeiras despregadas...

Para o Arrebenta

Eu cá voto em branco em todas as eleições.

sábado, 20 junho, 2009  
Anonymous Anónimo disse...

"Home-O Mundo é a nossa casa"

Lindissimo filme para ver no youtube

sábado, 20 junho, 2009  

Enviar um comentário

Subscrever Enviar comentários [Atom]

<< Página inicial

Site Meter