sexta-feira, 5 de junho de 2009

PALAVRAS PARA QUÊ! SÃO ARTISTAS...

Vamos assistir no domingo a um excelente exercício de magia: vão garantir-nos que perder três ou quatro deputados, em relação às anteriores europeias, é uma grande vitória.
Vão convencer-nos que ter trinta e poucos porcento é a antecâmara da maioria absoluta mais do que certa.
Vai uma aposta?


N.A.

Etiquetas:

25 Comentários:

Blogger Doutoramento Economia disse...

Amanhã todos vão ganhar, uns porque não perderam, uns porque não ganharam, vai ser um regabofe e nem vão falar do maior partido: a abstenção.

sábado, 06 junho, 2009  
Anonymous Anónimo disse...

Neste dia a que chamam de reflexão para o voto de amanhã para as eleições europeias.
Até hoje nunca deixei de participar em nenhum acto eleitoral, o meu voto vai ser na abstenção.
Recuso-me a participar na farsa europeia e na legitimação do parlamento que resultará desta eleição.
A democracia que vivemos já é falaciosa em si mesmo, retirando aos cidadãos o direito a decidirem sobre os actos concretos que lhe dizem respeito, concedendo-lhes somente o direito a colocarem um papel numa urna de quatro em quatro anos.
Depois, durante anos, os “inteligentes” decidem por nós, “o rebanho tolo”, mesmo fazendo o contrário daquilo que prometeram fazer, alegando a legitimidade que lhe foi concedida pelo acto eleitoral.
Se a isso juntarmos a força da propaganda para a “fabricação do consentimento” e de um sistema construído sobre a existência de dois partidos de alterne, diferentes na cor mas iguais nas politicas, podemos imaginar que quem tem o poder sabe que nunca o perderá.
Pode mudar a cara do líder ou o partido vencedor, mas será sempre mais do mesmo.
Se isto é verdade a nível nacional, mais se agrava quando estamos a eleger 22 pessoas de vários partidos, que defenderão ideias diferentes num mar de muitas centenas de deputados europeus.
Mesmo os deputados que, não só dizem mas efectivamente querem mudar as politicas neo-liberais europeias, acabam por ser vozes isoladas e sem nenhuma força para mudar seja lá o que for.
É a ditadura democrática do poder instituído.
Não vou participar nessa farsa e por isso o meu voto é a abstenção.

sábado, 06 junho, 2009  
Anonymous Anónimo disse...

... E outros vão ganhar mesmo ficando em segundos, terceiros, quartos ou quintos. Mas de uma coisa tenho a certeza: ganha quem tiver mais votos! O autor do post tem dúvidas acerca disto?

domingo, 07 junho, 2009  
Anonymous K. disse...

O Presidente da República, Cavaco Silva, apelou ao voto nas eleições europeias. "No tempo de crise económica e financeira internacional em que vivemos, as políticas europeias vão ter uma influência directa na recuperação da nossa economia e no combate ao desemprego e às situações de pobreza". "Apelo a todos para que não deixem de votar. São eleições importantes para o futuro da Europa e para Portugal". "Não esqueçamos que muitas das leis que vigoram entre nós, que regem as nossas vidas e as nossas actividades, são fruto do trabalho da União Europeia, em que o Parlamento Europeu exerce um papel central”.
Cavaco Silva insistiu que a "abstenção não é solução": "Não deixemos que sejam outros a decidir o nosso futuro. O Parlamento Europeu irá tomar decisões que vão ter uma implicação directa na vida de todos nós, seja no orçamento, seja nos fundos comunitários". "E pergunto: com que direito nos poderemos queixar depois das políticas europeias se, na hora em que fomos chamados a decidir, no momento em que pudemos escolher, optámos por não comparecer?"

Depois de o ouvir fiquei sem nenhuma duvida que o meu voto expresso será na abstenção. O Sr. Silva lembrou-me que as leis que vigoram entre nós, que regem as nossas vidas e as nossas actividades, são fruto do trabalho da União Europeia. Que melhores motivos poderia eu ter para querer sair de lá rápida e expeditamente. Tem toda a razão quando diz "Não deixemos que sejam outros a decidir o nosso futuro”. Não no acto eleitoral, mas nas opções europeias pelo neo-liberalismo e pela globalização capitalista. Só saindo desta falsa democracia poderemos escolher o nosso destino e encontrar as soluções para a crise criada da ganância e da benevolência cúmplice desta Europa. Nesta hora em que somos chamados a decidir temos que dar o sinal que não queremos lá estar e por isso não queremos eleger ninguém para lá estar. Claro que o sistema vai eleger os 22 deputados. Mesmo que só votasse um português, teremos 22 deputados. A questão é saber que legitimidade tem essa gente para nos representar. Que legitimidade terão para falar em meu nome. Eu não lhes a concedo. Como dizia José Régio, “Não sei por onde vou, só sei que não vou por aí”.

domingo, 07 junho, 2009  
Anonymous Anónimo disse...

Isto hoje não tem nada que saber....
Ou a abstenção é superior a 60% e temos um empate, o que quer dizer que o peso eleitoral dos professores é zero;
Ou temos uma abstenção da ordem dos 50% e aí o PS sairá claramente derrotado. Uma abstenção "tão baixa" só poderá ficar a dever-se a um voto de protesto contra o PS, porque "normalmente" estas eleições apontariam sempre para uma abstenção da ordem dos 60%.

Claro que, logo à noite, milhentos comentadores explicarão os resultados à posteriori.
Isso é fácil.
Mas, neste momento, que pouco passa das 16 horas e sem quaisquer previsões de coisa nenhuma, eu prognostico claramente o que está escrito acima.
Ou temos uma grande abstenção e o PS ganha, reduzindo a imensa luta dos professores à sua expressão mais simples, ou temos uma abstenção menor e o PSD ganha.

Quanto vale a aposta?
E porque é que eu centro o voto de protesto nos professores?
Porque eles andam a ameaçar há meses, via blogosfera e imprensa (as televisões não fazem ouvir a sua voz) que, em todas as eleições, se deve votar qualquer coisa menos PS.
Vamos a ver se conseguem esse desiderato.

domingo, 07 junho, 2009  
Anonymous Anónimo disse...

PS não voto de certeza absoluta, e PSD nem pensar com aquela monstruosa senhora e este candidato gay.
A minha mulher foi votar e teve dúvidas entre a Laurinda Alves. o MMS e o CDS ou a senhora do PC. Acabou por ganhar o CDS graças ao candidato, porque pelo Portas nem pensar.
O meu filho não sei onde votou, mas tenha a ceteza que não foi no PS nem no PSD, e é isso o que interessa.
Pela minha parte tenho estado indeciso. primeiro sobre se votava em branco, que era a vontade, ou se votava no CDS ou no MMS. Desde há dois ou três dias tem-se-me levantado a dúvida de outro modo: devo ir votar ou não o devo fazer?
São 17h (já passa) e acho mesmo que não vou votar.
Se me mantiver assim assim até às 19h é a primeira vez em cerca de 30anos que não voto. É o meu protesto.
Sei que é discutível e eu próprio me mantenho carregado de dúvidas, mas provavelmente é a abstenção que em mim ganha desta vez.
Se por acaso me arrepender, ainda lá vou pôr em branco ou, quem sabe, no CDS.
Tenha a certeza que votaria em branco se os votos em branco fossem contabilizados de igual forma que os votos em partidos e depois se traduzissem obrigatoriamente em cadeiras vazias.
Aliás, acho que deveria ser formado um movimento - o Movimento do Voto em Branco - precisamente para exigir que os votos em branco fossem traduzidos em lugares não ocupados nas Assembleias. penso que esse poderia ser um grande contributo para a salvação da democracia, porque obrigaria a uma enorme reflexão por parte dos partidos e da sociedade.

O Sócrates, hoje a reagir a uma pergunta de umajornalista sobre alguns problemas do novo cartão do cidadão, meteu-me ainda mais nojo que o costume. Acho que se fosse ao vivo o insultava pela propásia, pela arrogância, pelo cinismo e pela desfaçatez de mandar os velhotes enviarem um sms para saber nº de eleitor.
... E lembrar-me eu que votei neste bisonte há quatro anos. Pela primeira vez que votei PS em legislativas levei com uma ensinadela que deve durar-me para o resto da vida. A mim e cá em casa...
este Sócrates é tão repugnate que ainda me parece pior que o outro f... do Cavaco, que tinha para mim como a coisa mais asquerosa desde o 25 A.
Mas o Sócrates ainda vai ganhar a este marmanjo.
É por causa de ignorantes, totalitários e pessoas mal formadas - democraticamente, intelectualmente e moralmente - como este Cavaco e este Sócrates que o país está como está e piorará ainda mais.



(Nas autárquicas sou dos poucos que votam mesmo nas equipas e estou-me borrifando completamente para os partidos, daí que tanto possa votar na CDU como CDS, e em Portalegre até votei no CDS contra o Cáceres)

domingo, 07 junho, 2009  
Anonymous Anónimo disse...

e em Portalegre até votei no CDS contra o Cáceres

PORTALEGRENSES
Em 11 de Outubro, nas eleições autárquicas, VOTEM!
Pela Cidade, VOTEM!
Votem à Esquerda ou à Direita, mas VOTEM!

Cáceres tem que PERDER!
Cácres é um indivíduo que sofre de iliteracia Política e acima de tudo Cultural.
Cáceres é o CANCRO DE PORTALEGRE!

domingo, 07 junho, 2009  
Blogger Kruzes Kanhoto disse...

Logo mais à noite todos sairão vencedores. Principalmente os vinte e dois a quem sair a taluda...

domingo, 07 junho, 2009  
Anonymous Olhos Trocados disse...

Mas o que é isto? Votei no CDS contra o Cáceres? Desde quando é que em Portalegre votar no CDS é votar contra o Cáceres? Tanta música e tanta prosápia ( 2º anónimo antes do Kruses Kanhoto )para terminar desta maneira, e o esforço que fedz para dizer que é, foi e será sempre CDS.

domingo, 07 junho, 2009  
Anonymous Anónimo disse...

A Murta vai matar o PS em Portalegre , aguardem ....

domingo, 07 junho, 2009  
Anonymous Anónimo disse...

Quais foram os resultados das eleições europeias no concelho de Portalegre?

domingo, 07 junho, 2009  
Anonymous Anónimo disse...

A Rádio Portalegre “ a tal mais ouvida no Alentejo”, animou a derrota da família socialista com uma excelente noite de fados!
Isto é que é informação, uma tristeza!

domingo, 07 junho, 2009  
Anonymous Anónimo disse...

Os vizinhos é que sabem
Na mesa onde Sócrates votou o partido mais votado foi o Bloco de Esquerda. O PS ficou em terceiro.

domingo, 07 junho, 2009  
Anonymous Anónimo disse...

Viva a democracia
Quem tem coragem em votar em pessoas independentes loge da podridão dos partidos.
Quem tem a coragem de conduzir a cidade de Portalegre distanciado dos interesses estabelecidos dos partidos. ?
Conhecem alguém com essa coragem, determinação e capaz de dizer não, quando é necessário dizer não, ás sanguessugas partidárias que devoram tudo de todos nós?

domingo, 07 junho, 2009  
Anonymous Anónimo disse...

Por algo será que o distrito de Portalegre é dos mais atrasados de Portugal, para escândalo nacional parece que foi o único distrito do país onde os Socialistas venceram, das duas uma ou são burros ou gostam de ser maltratados!
Lá diz o ditado - Lavar a cabeça a burros é “gastadeiro” de sabão.

domingo, 07 junho, 2009  
Anonymous Anónimo disse...

É o "clientelismo" a funcionar...

domingo, 07 junho, 2009  
Anonymous Anónimo disse...

Hoje é um excelente dia para ver o filme "Home-O Mundo é a nossa casa".
Podem vê-lo na RTP1 a partir da 1h, ou no Youtube em HD em português.

A ver se se esbate um pouco o "atraso" do distrito, referido pelo comentador Anónimo, em relação ao mundo.

domingo, 07 junho, 2009  
Anonymous Anónimo disse...

Distritos:

Portalegre - PS
Lisboa - PS
Setubal - CDU
Evora - CDU
Beja - CDU
Restantes - PSD

domingo, 07 junho, 2009  
Anonymous Anónimo disse...

Claro que votar CDS pode muito bem ser contra o Cáceres, porque é que não havia de ser?
Só a coragem que foi preciso para o Carlos Godinho ser candidato já é obra, ele que foi um dos melhores vereadores que portalegre teve até hoje, e que seria, não duvido, um óptimo presidente de Câmara (claro que o PSD tixou-o mas ele teve muito mais nível; em contrapartida o Cáceres pagou agora ao trafulha do Barradas com uma moeda de ouro!!!9

domingo, 07 junho, 2009  
Anonymous Anónimo disse...

Obrigado por ter explicado por mim.
Afinal ainda fui votar e votei em branco.
E obviamente que tenho simpatia pelo CDS mas não me revejo há muitos anos na sua prática e muito menos com um tal senhor Portas.
Entretanto fiquei a saber que o meu filho tem discernimento. Votou no MMS.

domingo, 07 junho, 2009  
Anonymous Anónimo disse...

Então o concelho de Lisboa também é atrasado não é verdade? Que mania que nós temos, um bocado masoquista de bater em nós próprios.Entre Ps e Psd venha o diabo e escolha, quem ganhou foi o bloco. Eu, pela 1ª vez, nem lá fui.

segunda-feira, 08 junho, 2009  
Anonymous Anónimo disse...

Bom, alguém quer mudar de assunto e comentar o filme "Home-O Mundo é a nossa casa"?

segunda-feira, 08 junho, 2009  
Anonymous Anónimo disse...

Cada vez mais é necessário dar voz aos pequenos partidos, pois esses ainda podem mudar qualquer coisa.
PS e PSD é tudo a mesma merda, ora mamam uns, ora mamam outros.
A idiologia já não interessa, conheço uns poucos de casos tristes, mesmo na nossa cidade, de pessoas que abandonaram o partido a que sempre estiveram ligadas porque nunca chegariam a lado nenhum nesse partido. Preferem curvar-se por um tacho em vez de caminharem direitas por uma idiologia.

segunda-feira, 08 junho, 2009  
Anonymous Anónimo disse...

Parece-me que andas com falta de mama. Lamento mas não te posso valer.

segunda-feira, 08 junho, 2009  
Anonymous Anónimo disse...

Não obrigado, podes ficar com ela só para ti porque eu tenho um trabalho sério, não preciso de andar pelos cantos a prostituir-me.
Não me revejo nesta forma de democracia e de fazer política, mas isso deve ser problema meu, que sou de outros tempos.
E já agora, limpa o canto da boca, fica mal...a um político.

terça-feira, 09 junho, 2009  

Enviar um comentário

Subscrever Enviar comentários [Atom]

<< Página inicial

Site Meter