domingo, 29 de maio de 2011

VIVER...

O crescimento da mendicidade é diretamente proporcional ao empobrecimento. E como empobrecemos diariamente, o aumento do número de pedintes é inevitável.


Quem passa, por exemplo, nas ruas, não pode deixar de sentir vergonha por ser português.
Para além dos sem abrigo, deficientes, vendedores de pensos rápidos e afins, dos pobres que já desistiram até de pedir e se deixam inertes nos passeios, dos artistas de rua, um eufemismo para designar novos pobres que estendem a mão
à caridade, existe agora uma nova classe de gente em dificuldades.
Pessoas razoavelmente apresentadas, que abordam quem passa pedindo ajuda para comer.
São muitos e não se identificam pela aparência, apanhando desprevenido quem passa, estendem um rol de lamúrias que incomoda e desencoraja a caminhada naquela rua.
Não se anda 30 ou 40 metros sem que não sejamos abordados por alguém que pede.

O banco alimentar, lançou ontem um novo peditório.

São milhares de pessoas às portas dos supermercados, estendendo um saco a quem passa. Também incomoda. Física e moralmente.
Milhares de pessoas esperam que os voluntários daquela organização peçam nas ruas, a sua próxima refeição.
Já nem se dão ao trabalho de ajudar no peditório.
Usufruem dele.
Habituámo-nos a viver assim.
Sem expectativas, sem anseios, sem ambição, sem esperança.
Habituámo-nos a ser mendigos.
Por conta própria ou, alheia.
Perdemos a dignidade de viver do produto do nosso trabalho.
São muitos milhares de portugueses, pedindo para si ou para os outros, incapazes de um gesto de revolta contra este sistema que acabará por fazer de todos nós, pobres.
Como se de uma fatalidade se tratasse, como se houvesse qualquer justiça social na caridade.
Se esta gente que se levanta para ir pedir à porta das mercearias, se levantasse para exigir contas a quem fez de nós pobres, teríamos a oportunidade de nos afirmar com a dignidade que deve assistir às pessoas.
Viver do nosso trabalho, num país limpo, governado por gente séria.

Etiquetas:

39 Comentários:

Anonymous Anónimo disse...

Este blog, pelos comentários que aqui se deixam a que se somam alguns posts que o "dono" do blog promove é, com toda a certeza, o local do mundo com maior número de mentecaptos por cm2 do mundo. Só lamento que a maioris, se não a totalidade, seja gente da minha terra.

Nota: veja-se, a título de exemplo, o anterior post e seus comentários, acerca do Banco Alimentar.

domingo, 29 maio, 2011  
Anonymous Maria Antonia Nunes disse...

O maior mentecapto que passou cá hoje foi V.Exa, que nem ler sabe?

domingo, 29 maio, 2011  
Anonymous Pedro M. Carrilho disse...

As verdades que por aqui vão sendo escritas incomodam muito certos figurões da cidade e do concelho coitadinhos são com o presidente do conselho uns calimeros.

domingo, 29 maio, 2011  
Anonymous A. Silva disse...

Eu sou de Portalegre, e confesso que leio com alguma atenção ao que aqui se escreve. Sem nunca ter feito qualquer comentário. Mas isto chega a um ponto que não se distingue o que é verdade do que é mentira e mal dizer. Na maioria dos casos, nem sei quem são as pessoas mencioadas, mas rapidamente percebo que são alvo de ódios privados. Por favor, que ninguém pense que todos os portalegrenses são assim. Devia haver uma maneira de por côbro a estes disparates, e se s pessoas se querem queixar e falar verdades que as façam em público assumindo o que dizem, dando a cara.

domingo, 29 maio, 2011  
Anonymous Anónimo disse...

"Foda-se não há mesmo pachorra.
O povo, esse continua bêbado, estúpido e, infantilizado.
Um excelente trabalho desenvolvido por governos e autarquias que entre o facilitismo escolar e a organização de carnavais, fez de gente normal, perfeitos quadrúpedes."

ABRAM OS OLHOS, PORRA PÁ!

domingo, 29 maio, 2011  
Anonymous Anónimo disse...

Desculpem mas, entre este blog e o Jornal de Negócios - como exemplo - há uma enorme diferença. Aqui escrevem-se as verdades. Nos «Jornais» apregoados pelos ardinas vendem-se «as verdades» que interessam áqueles que pagam aos «jornalistas» para escrever essas «verdades».

Cada um come do que gosta; eu leio este blog diáriamente e nem levo a mal se alguém não disser bem de mim.

domingo, 29 maio, 2011  
Anonymous Anónimo disse...

Grande post.
Muitos parabéns pelo sentido de oportunidade deste grande texto.
Os burros do povo esses continuam de olhos tapados e a fingir que nada vêm.
Força nos dedos e que nunca deixem de teclar.

domingo, 29 maio, 2011  
Anonymous Anónimo disse...

mais um demissão na ulsna....os ratos começam a fugir

domingo, 29 maio, 2011  
Anonymous Anónimo disse...

que ratos fugiram?

domingo, 29 maio, 2011  
Anonymous Anónimo disse...

O zézito já levou as caixas de cartão para tirar os pertences do gabinete

domingo, 29 maio, 2011  
Anonymous Anónimo disse...

...e o zambujo de bossa já comprou bilhete para ponte de sôr

domingo, 29 maio, 2011  
Anonymous Anónimo disse...

Houve demissões na Ulsna, mas pode estar para breve uma nova aquisição...há quem lhe chame a Peixeirona, mas é também conhecida pela Travesti! Quem sabe, pode montar-se na bossa do outro e partir para bem longe!

domingo, 29 maio, 2011  
Anonymous Anónimo disse...

Quem é que se demitiu na ulsna?

domingo, 29 maio, 2011  
Anonymous Anónimo disse...

Mas quem é a peixeirona/travesti?

domingo, 29 maio, 2011  
Anonymous Anónimo disse...

Não se esqueçam de votar nos mesmos ... no próximo dia 5 de Junho de 2011.

domingo, 29 maio, 2011  
Anonymous Anónimo disse...

Eu no dia 5 vou votar nas putas que os filhos das putas já lá estão há demasiado tempo e têm roubado muito.

domingo, 29 maio, 2011  
Anonymous Anónimo disse...

voc~es não me digam que o acessor da camanaho do PS se demitiu pq eu não acredito pois se finalemente conseguiu arranjar um tacho não ia voltar para as vigarices em Ponte de Sôr

domingo, 29 maio, 2011  
Anonymous Ana Trindade disse...

Enquanto o povo não tomar consciência disto: «...são muitos milhares de portugueses, pedindo para si ou para os outros, incapazes de um gesto de revolta contra este sistema que acabará por fazer de todos nós, pobres.
Como se de uma fatalidade se tratasse, como se houvesse qualquer justiça social na caridade.
Se esta gente que se levanta para ir pedir à porta das mercearias, se levantasse para exigir contas a quem fez de nós pobres, teríamos a oportunidade de nos afirmar com a dignidade que deve assistir às pessoas.
Viver do nosso trabalho, num país limpo, governado por gente séria.»
Teremos um país de jumentos.

domingo, 29 maio, 2011  
Anonymous Anónimo disse...

mas quem é a peixeirona/travesti?

domingo, 29 maio, 2011  
Anonymous Anónimo disse...

Será a mulher do outro?

domingo, 29 maio, 2011  
Anonymous Cidadania. disse...

Eu no dia 5 vou meter o meu voto na urna da melhor gaja que estiver na msa de voto. Mas como o boletim deve ficar bem amarrotado espero que final conte como branco ou nulo.

Um verdadeiro cidadão!

domingo, 29 maio, 2011  
Anonymous Anónimo disse...

Banco Alimentar contra a Fome:
-31000 dondocas voluntárias;
-1700 toneladas de alimentos recolhidos, mais 10% que o ano passado,oferecidas por milhares de indivíduos deste Povo de dondocas;
-Apoio a 319000 indivíduos que o Estado e a SS esqueceu;
-Alimentos distribuídos por 1900IPSS das quais se destacam as Misericórdias que, nalguns locais do distrito, até são o único e maior empregador...vejam lá que até empregam pessoas...
-Esperança no futuro algo que depende de todos nós e não só do Estado...por isso mesmo há quem pense que pode fazer alguma coisa pelos outros...e não é caridadezinha um gesto de solidariedade...
-Espanto: a incompreensão pela desgraça de quem foi excluído, não necessariamente pelo Estado ou pelo desemprego...Há muita exclusão que não tem exclusivamente a ver com causas estruturais...
- Aplauso:"Viver do nosso trabalho num país limpo, governado por gente séria"...Concordo e aplaudo embora não conheça o sistema ou o modelo económico onde tal alguma vez tenha acontecido e onde a justiça social, a igualdade e a liberdade tenham coexistido.

domingo, 29 maio, 2011  
Anonymous Anónimo disse...

Se cada um fizesse o seu melhor em vez de vira para aqui vomitar sobre os outros, bem melhor seria.

Convoquem uma manif para o Rossio e logo vemos quem tem tomates para lá ir.

Eu sou o que defendo a caridade e não me admiraria que fosse o único capaz de lá estar para enxofrar todos os políticos, mas aqui os democratas e progressistas não sei se lá iriam ou se são daqueles finórios que por aí andam que preferem não trabalhar e acham que se não receberem 2 mil euros sem fazer nada o emprego não tem dignidade para eles.

Caridade é um valor diferente do da solidariedade. Eu pratico caridade, menos do que devia, mas pratico-a. E sou solidário, mais do que muitos mereciam.

Querem fazer algo de útil' tenham tomates e façam o que outros fazem em Espanha ou no Rossio em Lx: manifestem-se. Pode ser tb na Praça da República, frente a merda do poder que cá temos. E depois vamos ver quem aparece.

Aí eu serei solidário.

domingo, 29 maio, 2011  
Anonymous Bruno Azevedo disse...

Eu já percebi tudo. Aquele sketch do "homem a quem parece que aconteceu não sei o quê", inspirou-se de certeza neste blog: uma pessoa chega aqui e é logo confrontada com certas e determinadas situações, ah e não sei que mais e o camandro, e depois vemos que andam para aqui palhaços que falam, falam, falam, falam... e não os vemos a fazer nada, fica-se chateado, com certeza que se fica chateado.

segunda-feira, 30 maio, 2011  
Anonymous Mais Uma Sondagem disse...

Em que urna irá o Borges introduzir o voto?

segunda-feira, 30 maio, 2011  
Anonymous Anónimo disse...

Nas misericórdias é só gente muito séria, basta ver a da cidade, as de castelo de vide, algumas de arronches, aqueles que têm nascido como cogumelos no concelho de ponte de sôr, etc,
Recebem os bens e usam os mesmos na alimentação dos idosos que lá deixam a reforma toda e não chega.
Algumas funcionárias são pagas ao preço do ouro, com ordenados da ordem dos 3.000,00 euros e outras não ganham mais de 419,00 de euros, são mesmo grandes empresas e grandes empregadoras. É só gente muito séria que há neste distrito.

segunda-feira, 30 maio, 2011  
Anonymous Rato disse...

Protestos na Praça da Républica?
Mas é exactamente aí que os ricos se manifestam todas as noites!!! Basta assistir a uma saída dos Gémeos às 2 da matina para se fazer uma ideia do que os portalegrenses têm protestado nestes ultimos anos!

segunda-feira, 30 maio, 2011  
Anonymous Anónimo disse...

Misericórdias em Castelo de Vide...que nascem como cogumelos em Ponte de Sor?. O senhor não estará a confundir misericórdias com lares particulares ou outras instituições...?As misericórdias do distrito são todas centenárias e apenas existe uma por concelho ou em freguesias que foram concelhos...E nalguns locais são mesmo o único empregador significativo ou um dos únicos como, por exemplo, nas freguesias de Montargil ou Vimieiro (distrito de Évora) ou no concelho do Gavião...É claro que, como nas empresas, há umas bem geridas outras mal...Mas, sinceramente, misericórdias a aparecer como cogumelos?????

segunda-feira, 30 maio, 2011  
Anonymous Um campónio disse...

Parece-me que o (a) senhor(a) nem sabe quantas misericórdias há no concelho de Castelo de Vide?
Informe-se melhor...

segunda-feira, 30 maio, 2011  
Anonymous O. disse...

Tenho-me questionado, durante os percursos de 30 minutos que separam a minha casa do local de trabalho, quem é afinal o “Homem do Leme” desta república da bandalheira, que afasta do seu trajecto os factores chave de desenvolvimento e progresso como o diabo afasta a Cruz, em prol de ganhos pontuais particulares de clubes de amigos e familiares.
Sinceramente fico dividido entre a classe política, os banqueiros e os gestores de activos.
Hoje existe um Sócrates como ontem houve um Salazar, personificando os interesses de meia dúzia (de parasitas) à custa do suor e lágrimas dos outros nove milhões… mas com uma agravante, noutros tempos (os de Salazar) só havia lugar para estes dois grupos, a meia dúzia e os outros, que trabalhavam vergados pela força. Hoje, a meia dúzia mantém-se, há os que trabalham na esperança de manterem alguma dignidade, e há também os parasitas sem eira nem beira (são em tudo semelhantes à meia dúzia mas cheiram mal e não aparecem em jornais e revistas), um grupo em expansão.
O colapso dar-se-à quando os únicos que trabalham já não o puderem fazer, porque os outros sugaram tudo, até o necessário para que fosse possível trabalhar.
A ver vamos quando é, mas sinto que não está longe.
Alguém me elucida à cerca do “Homem do Leme”? Políticos ou Banqueiros?
Será que é tudo a mesma gente?

segunda-feira, 30 maio, 2011  
Anonymous R.S.Pinto disse...

Paulo Futre esteve em grande nos «Globos de Ouro». À parte os seus ataques a Bárbara Guimarães (só faltou saltar-lhe em cima), numa atitude típica de «macho latino», ficou uma mensagem séria aos políticos portugueses. Falou da classe média, que tem cada vez mais dificuldades em chegar ao fim do mês; e nos pobres, que nem sequer têm dinheiro para comer. «A classe baixa portuguesa está a passar fome. Repito, a classe baixa portuguesa está a passar fome. Concentrem-se, por favor», disse.
Um discurso que arrancou muitos aplausos da multidão presente na cerimónia. Inadvertidamente, no meio dos aplausos entusiásticos, a realização mostra um Mira Amaral descontente que não bate palmas e que está visivelmente irritado com o discurso. Logo atrás, um outro «colarinho branco» não disfarça os seus sentimentos com uma expressão marcada pela arrogância (cerca dos 4 minutos).
Para a classe política, a pobreza é um incómodo. Um tema extremamente inadequado para uma cerimónia daquelas. E Futre, esse, deve ser um comunista radical – só pode…
Houve um outro político que não pareceu gostar muito da prestação de Futre. Manuel Maria Carrilho não conseguiu disfarçar o sorriso amarelo. Mas aí, está bom de ver, os motivos foram outros…

segunda-feira, 30 maio, 2011  
Anonymous Anónimo disse...

Posso estar muito enganado mas em Castelo de Vide há apenas uma Santa Casa da Misericórdia...Aliás as Santas Casas, já o afirmei, são instituições centenárias, que há em várias freguesias e concelhos...Na maior parte das freguesias em que existem, tal deve-se ao facto de terem sido concelhos, nomeadamente Montargil, Amieira do Tejo, Alegrete, Alpalhão, Galveias... Como, neste momento, o concelho de Castelo de Vide, para além das freguesias da vila, abrange Póvoa e Meadas onde poderia existir uma misericórdia, o que penso não acontecer, não estou a ver quais são as outras misericórdias do concelho.

segunda-feira, 30 maio, 2011  
Anonymous Anónimo disse...

são os tótós desta terra

esse amigo aí atrás confunde Misericórdias com IPSS, não sabendo que as primeiras (que em termos de segurança social são IPSS) têm todas mais de 350 anos (algumas mais de 500) e que são a primeira e mais antiga estrutura de solidariedade social organizada... no mundo, não é em Portugal.

E, claro, são confessionais. Os seus estatutos são promulgaod spelas dioceses, tal como os actos eleitorais só t~em validade depois de validades pela autoridade diocesana.

A única excepçâo é a da Misericórdia de Lisboa que foi roubada pelo Estado.

segunda-feira, 30 maio, 2011  
Anonymous Anónimo disse...

E ainda acrescento:

- Há autoridades (históricas) que afirmam que o principal papel distintivo de Portugal no mundo é a fundação das Misericórdias (que também levou para o Brasil e creio que para a Índia)

- Se os tótós forem uns tótós de 50 anos lembrar-se-ão que a maioria dos hospitais que existiam eram da Misericórdia; eu nasci no hospital da Misericórdia de Portalegre que tinha freiras lá, pois só em 1973 é que o Hospital passou para o Estado (este pelo menos não foi roubado)

segunda-feira, 30 maio, 2011  
Anonymous Anónimo disse...

IPSS, há muitas que vivem todas à nossa custa.

segunda-feira, 30 maio, 2011  
Anonymous Anónimo disse...

Pena é que "tão bem prega frei Tomás,... ..." mas a realidade é tão diferente.

segunda-feira, 30 maio, 2011  
Anonymous Anónimo disse...

Meu amigo, em quantas brigas com Misericódias já se envolveu? Eu, nalgumas.
Fique pois ciente de que sei do que falo e conheço muito porcaria, mas não confundo a porcaria com as instituições e o espírito que lhes deve presidir.
Claro que sabemos das obras pias de muitos provedores e quejandos, e se quiser até podemos pôr aqui muita coisa a nu, mas isso não significa que as Misericórdias - instituição não nos devam merecer todo o respeito e não reconheçamos o seu trabalho. Depois podemos dizer o que quisermos do "exemplo" de Portalegre, do antigo violador, perdão, provedor de Arronches, elogiar o trabalho do Carolino em Castelo de Vide, analisar os interesses da esposa do Irmão do Pe Nuno em Marvão, comentar o trabalhao desinteressado do provedor Sr Mário no Crato e por aí adiante, mas isso são os dirigentes, não as instituições.

segunda-feira, 30 maio, 2011  
Anonymous Anónimo disse...

E lá voltamos à mulher de César...

terça-feira, 31 maio, 2011  
Anonymous Anónimo disse...

É hora de mudar!!! No dia 5 de Junho, VOTA PSD!

quinta-feira, 02 junho, 2011  

Enviar um comentário

Subscrever Enviar comentários [Atom]

<< Página inicial

Site Meter