quarta-feira, 29 de abril de 2009

PETRÓLEO

Afinal aqueles imbondeiros
Paquidermes de raízes e flores
Soldados fantasmas
Eram os guardas verdadeiros
Permanentes e firmes
Aos ventos e aos calores
Por sobre um tesouro milenário.

Guardaram com os seus braços levantados
E seus corpos dilatados
Ocupando
Todo o areal enorme
Imenso
Como fantoches disfarçados
Afugentando os homens
Com os seus corpos feios
Blindados de chumbo.

Afinal aqueles imbondeiros
São os guardas que foram vencidos
Todos
Quase todos serão sepultados
Sobre eles cairão
As torres de ferro e de triunfo.

Um novo poema em gritos de luz e de força
Surgirá das profundidades do vasto areal
Haverá mais trabalho e felicidade
Em nova fase de visões e fatalidades.

Eu como poeta
Dono da fantasia e da realidade
Dono de tudo sem querer nada
Em novos Cânticos sociais e humanos
Cantarei humanamente
A minha terra e o meu petróleo.

Tomás Jorge
Areal

Etiquetas: ,

2 Comentários:

Anonymous Anónimo disse...

E a iC13 está pronta. Porque não abre ao transito?
É justo fazer as pessoas andar pelas curvas da antiga estrada, que tem o piso todo degradado especialmente entre Crato e Alter em consequência das obras da IC13?
E as pessoas doentes que são transportadas em ambulância terem de percorrer aquela estrada em sofrimento, quando ao lado está uma estrada novinha e fechada?
Vergonha de País....

sábado, 02 maio, 2009  
Anonymous COMPADRE disse...

VAMOS LÁ AO QUE UNTERESSA. QUANDO É INAUGURADA A PORRA DA IC 13?
ESTÁ PRONTA. QUANTOS É PRECISO MORREREM NA MERDA DA OUTRA ESTRADA?
ANDAM A GOZAR COM ESTA MERDA TODA...

terça-feira, 12 maio, 2009  

Enviar um comentário

Subscrever Enviar comentários [Atom]

<< Página inicial

Site Meter