quarta-feira, 22 de fevereiro de 2012


Nas estantes os livros ficam
(até se dispersarem ou desfazerem)
enquanto tudo
passa. O pó acumula-se
e depois de limpo
torna a acumular-se
no cimo das lombadas.
Quando a cidade está suja
(obras, carros, poeiras)
o pó é mais negro e por vezes
espesso. Os livros ficam,
valem mais que tudo,
mas apesar do amor
(amor das coisas mudas
que sussurram)
e do cuidado doméstico
fica sempre, em baixo,
do lado oposto à lombada,
uma pequena marca negra
do pó nas páginas.
A marca faz parte dos livros.
Estão marcados. Nós também.

Pedro Mexia
Duplo Império

Etiquetas: ,

1 Comentários:

Anonymous Anónimo disse...

é o q vos digo: o coelho e o gaspar cairam na merda. isto porque os economico-financeiros só sabem explicar os fenómenos depois de eles próprios se resolverem. engenheiros financeiros? nem categoria para pedreiros eles apresentam...

quarta-feira, 22 fevereiro, 2012  

Enviar um comentário

Subscrever Enviar comentários [Atom]

<< Página inicial

Site Meter